Diálogos entre pintura e fotografia e entre pictórico e indicialidade marcam a segunda noite do Colóquio

As falas de Pablo Mufarrej e Flávio Araújo iniciaram o fórum de pesquisa levantando questões sobre as relações entre fotografia e pintura. Elementos comuns compartilhados no universo das duas linguagens, tanto no plano objetivo, como o uso da câmera escura e as leis da perspectiva geométrica, quanto na poética dos processos de produção artística dos participantes do fórum foram discutidos entre os artistas e o público do Colóquio.

 

Apresentação de Pablo Mufarrej. Foto: Irene Almeida.

A abstração na macrofotografia de um dente. Foto: Irene Almeida.

A palestra do fotógrafo e pesquisador Patrick Pardini sobre a obra “O Fotográfico” de Rosalind Krauss estimulou uma presença significativa do público no debate iniciado pelo mediador Fábio Castro. Os pontos de encontro e distanciamento entre o pictórico, o simbólico e o indicial no fotográfico estiveram em questão. As relações entre mercado de arte e o fazer artístico contemporâneo também foram debatidos em diálogo com as ideias de Rosalind Krauss sobre a radicalidade do fotográfico.

 

Patrick Pardini e Fábio Castro. Foto: Michel Pinho.

Público durante a palestra de Patrick Pardini. Foto: Michel Pinho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s