Fórum de pesquisa segue com “Crítica, fotografia e arte contemporânea”. A “Filosofia da caixa preta” de Vilém Flusser será discutida na palestra de Cláudia Leão

18:30 fórum de pesquisa “Crítica, fotografia e arte contemporânea” – por Ricardo Macêdo e Adriele Silva.

Ricardo Macedo é Formado em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Pará e Design de Interiores pela Escola Técnica Federal. Começou a carreira artística como desenhista e pintor abstrato em 1996. Mas, desde 2004, utiliza-se também de algumas linguagens como: fotografia, performance e vídeo. Suas pesquisas giram em torno dos seguintes temas: identidade, complexidade, história, comunicação e alteridade. É editor do blog novas-medias.blogspot.com

TEMA DA COMUNICAÇÃO: IMAGENS RELACIONAIS
O presente trabalho é resultado da junção de duas pesquisas: meu projeto de TCC intitulado “De um passado expandido a um presente diluído:  Percursos da produção em Arte Contemporânea” e uma pesquisa atual sobre Arte Relacional.  As duas pesquisas se entrecruzam para refletir de um lado, a influência do contexto histórico e do cotidiano nas produções contemporâneas e por outro a mudança conceitual no papel das imagens enquanto elemento de registro das produções artísticas, para assim, chegar a uma compreensão mais expandida das imagens dentro do cenário atual.
Deste modo, as imagens atuais são relacionais pelo fato de estarem interligadas em rede a outras áreas do conhecimento e sobremaneira à vida e ao cotidiano. O que sobrevém destes atravessamentos? Modos de percepção diferenciados que agora mais do que nunca incluem: imprevisibilidade, contradições, paradoxos, processos, vivência, tempo e durações.
Para ilustrar tais questões utilizarei três grupos: Fluxus, Provos e Internacional Situacionista dentro do contexto da década de sessenta e três artistas contemporâneos: Marilá Dardot, Tiravanija e Tere Recarens , para chegar a idéia de que algumas imagens hoje, não podem deixar de ser pensadas fora das interações em rede com os Outros e das emergências do social: do afeto, da política, da alteridade e do biológico.

Adriele Silva é graduanda em Artes Visuais pela Universidade Federal do Pará. Em 2009 foi bolsista do PIBIC/CNPq com o projeto “Caminhos Cruzados: entre crítica de arte e curadoria”, do Programa de Pesquisa e Extensão Territórios Híbridos. Atuou como assistente de produção no projeto Água Mídia Locativa e como mediadora cultural no Museu da UFPA e no 27º Salão Arte Pará. É voluntária no Núcleo de Formação e Experimentação da Fotoativa, onde ministra oficinas de iniciação a fotografia.

TEMA DA COMUNICAÇÃO: CAMINHOS POSSÍVEIS? A CRÍTICA DE ARTE E A CURADORIA COMO AÇÃO DE UM ESPAÇO E TEMPO ESPECÍFICO
Como e porque os conceitos de crítica de arte e de curadoria podem ser identificados no espaço –tempo da Galeria Teodoro Braga (GBT) no período que corresponde ao anos de 1990 a 2008? Um estudo de caso busca delinear os caminhos possíveis e os entrecruzamentos entre as ações de crítica de arte e de curadoria na GTB – cidade de Belém, PA. Iniciado como plano de trabalho de uma bolsa de iniciação científica do CNPq caminha rumo a uma primeira finalização como Trabalho de Conclusão de Curso e apresenta-se agora como pesquisa em andamento que firma-se como um território de conceitos hibridizados, principal característica de nossa contemporaneidade na arte a na vida.

19:30 Palestra “Filosofia da caixa preta” de Vilém Flusser – Por Cláudia Leão com mediação de Mariano Klautau Filho.

Claudia Leão nasceu em Belém do Pará. É pesquisadora, fotógrafa e artista visual.  Desenvolve projetos sobre a ontogênese da imagem – suas vinculações em processos criativos e psicossociais. Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP (2001) e doutoranda do mesmo programa. É articuladora do Caixa de Pandora – Núcleo de Imagens que se destina à pesquisa e a arte da fotografia, e do CISC – Centro Interdisciplinar de Semiótica da Cultura e da Mídia – SP, vinculado ao COS-PUC. Tem trabalhos publicados em livros, catálogos, revistas científicas. Entre os livros, cabe ressaltar o “Novas Travessias – Contemporary Brazilian Photography”, Ed. Verso, London – New York (1996); “Fotografia Contemporânea Paraense – Panorama 80/90” (2003); Visões e Alumbramentos  – Fotografia Contemporânea Coleção Joaquim Paiva. Brasil Connects, São Paulo (2004) e Mapas Abiertos Fotografía Latinoamericana 1991-2002, Editores Lunwerg. Barcelona/ Espanha (2004). Em 2008 trabalhou na edição de imagens para o livro do estilista  André Lima para Coleção Brasileira de Moda (CosacNaify). Como artista realizou exposições individuais: O Rosto e os Outros (Belem/PA-1995); O Jardim dos Caminhos que se Bifurcam (Fortaleza/CE-2000) e Protocolo de Infinitas Imagens Cotidianas ou as nossas Lembraças e os nossos esquecimentos (Quito/Equador-2008). Dentre as  mostras coletivas destaca: Rumo da Nova Arte Brasileira – Entre o mundo e o sujeito – Rumos artes visuais – Itaú Cultural – Instituto Cultural Joaquim Nabuco. 2003; Fotografia Contemporânea Paraense – Panorama 80/90.  2002/2003; Visões e Alumbramentos – Coleção Joaquim Paiva. Pavilhão Oca. Parque Ibirapuera. São Paulo. Mostra Paralela; 25ª Bienal de São Paulo. Março/2002; e Diário Contemporâneo de Fotografia em Belém do Pará (2010).

Mariano Klautau Filho Nasceu em Belém, Brasil em 64. Vive e Trabalha em Belém. Fotógrafo e pesquisador. Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC de São Paulo. Professor de fotografia da Universidade da Amazônia. Grande Prêmio – Arte Pará 2001 e 2007. Coordenador do projeto “Fotografia Contemporânea Paraense – Panorama 80/90” – Edital Petrobrás Artes Visuais – 2002. Criador e coordenador do “Colóquio Fotografia e Imagem” realizado pela Fotoativa desde 2002. Expõe no Brasil e exterior como “Mostra Pirelli/Masp de Fotografia – Museu de Arte de São Paulo – SP (2010), “A Brush with Light –  Newport-Wales – Arts Council of Wales e University Of Wales – Newport.(2010), “Finisterra” (individual) – Fauna Galeria – SP (2010),  “Realidades Imprecisas” – Sesc Pinheiros – São Paulo (2009), “Equatorial” CEB-Cidade do México(2009),”Finisterra” Fotoclub – Montevideo – Uruguay(2009), “Finisterra_Carta Aérea” – Wiesbaden – Alemanha (2008), “II FestFotoPoa” – Porto Alegre” (2008), “I Bienal del Fin Del Mundo”- Ushuaia – Argentina (2007), “Desindentidad” – IVAM -Valência – Espanha (2006), “Veracidade” –  MAM – São Paulo (2006), “Une Certaine Amazonie – Villes Fragiles” – La Courneuve – Paris – França (2005) entre outras. Possui obras nos acervos do Museu de Fotografia da Cidade de Curitiba, Museu do Estado do Pará – Belém, Coleção Joaquim Paiva, Museu de Arte Moderna de São Paulo –MAM e Coleção Pirelli/MASP – SP

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s